projeto livro pirata
INTERVENÇÃO EM PÁGINA DE LIVRO, 2011

Participação no projeto colaborativo da artista Beatriz Bittencourt, que propunha reinterpretar uma página do livro A História da Arte de E. H. Gombrich, pirateando a obra original e catalogando essas reinterpretações em um livro digital, totalmente pirateável, que posteriormente foi editado pela editora Dobra através de crowdfunding. 

Inicialmente publicada por E. H. Gombrich em 1950, A História da Arte apresenta o todo da história da arte ocidental como uma narrativa cronológica, da pré-história ao presente do autor. O livro é conhecido como uma das mais acessiveis introduções as artes visuais e desde então foram publicadas 16 versões em 30 idiomas. Através desse processo de traduções e adaptações a obra ganhou cores, legendas cresceram, fold-outs foram adicionados e novas obras adicionadas. Nele, a história da arte esta sempre sendo re-escrita por incontáveis vozes.

Mantendo-se fiel ao espirito dessa obra traduzida, copiada, manipulada e multi-autoral, uma nova adapção acaba de ser criada. A História da Arte Pirata foi concebida pela artista Beatriz Bittencourt através de um convite aberto a outros artistas pedindo ajuda para a re-invenção deste livro; para re-pensar o livro-objeto, seu conteúdo e a sua história de uma maneira que pudesse ser reproduzida através de fotocópias, download e scan.

O livro final contém 112 paginas do texto original, pirateadas por artistas que desenvolveram interpretações visuais e sonoras das antes austeras páginas. Gombrich colocou que A História da Arte é a história de “criar boas imagens” e esta edição leva essa perspectiva ao extremo. Aqui encontramos uma montagem de estilos, abordagens e práticas que nos oferencem leituras baseadas em imagens, correções e novas criações. Interpretações inesperadas nos obrigam a voltar ao livro original, exigindo indas e vindas entre os textos, em busca das fontes. Formatado para ser impresso digitalmente em branco e preto, como arquivos sonoros e disponivel na internet, o livro é accesivel e movél. Esta mutabilidade, mais uma vez, nos faz recordar que nossas histórias são tão subjetivas quanto nossas leituras.

A História da Arte Pirata foi insipirada por The Piracy Project, um projeto internacional de exposições e publicações que explora as implicações filosóficas, legais e práticas da pirataria de livros e de metodos criativos de reprodução. O projeto é co-ordenado por Andrea Francke e por nós desde a biblioteca da “Byam Shaw”, Londres.

ANDPublishing



+

Back to Top